O “Mapa do Sangue da Torre de Vigia” da AJWRB.org, exibe os locais geográficos para casos em que “Testemunhas de Jeová” e questões referentes a “transfusões de sangue” (ou “doações de órgãos”) foram relatados ou documentados. Muitas histórias originais foram relatadas pelos meios de comunicação local. Outras foram provenientes da própria experiência pessoal de indivíduos ou estavam compartilhando a história de um membro da família.

Os MARCADORES VERMELHOS no mapa representam pessoas que sobreviveram à sua crise de saúde mesmo se aceitaram ou rejeitaram o sangue. A maior parte destes casos envolveu os tribunais que tomaram a custódia temporária de um menor e, por ordem judicial, permitiu que os médicos usassem o sangue como tratamento para salvar a vida da criança.

Os MARCADORES PRETOS são todos aqueles que morreram – quer tenham recebido sangue ou não. Alguns que se enquadram nesta categoria receberam uma transfusão, mas devido a atrasos causados ​​por ter que processar os casos através dos tribunais, a morte de um menor ocorreu, mesmo que o sangue fosse finalmente usado.

Devido a problemas de privacidade, os casos não relatados ou publicados pela mídia exibirão apenas as iniciais. As fontes disponíveis são citadas nos detalhes. Todos os links estavam ativos no momento da publicação, mas informe-nos se um link não estiver mais funcionando. Temos recursos de backup para a maioria dos casos e podemos substitui o link para que funcione.

O objetivo do mapa é combater a falsa noção promovida pelos líderes da organização Torre de Vigia de que “a maioria das Testemunhas de Jeová sobrevivem à sua crise de saúde sem o uso do sangue”. Esse mapa, mesmo que forneça apenas um instantâneo de casos conhecidos e relatados, mostra um imagem muito contraditória e perturbadora.

O mapa não é de modo algum uma representação completa de cada paciente ou emergência médica quando o uso de sangue foi um problema. Por mais notáveis ​​que sejam as circunstâncias, muitos casos nunca são reportados pela mídia. Nem são situações médicas quando as pessoas não recebem sangue – e ainda assim conseguem sobreviver. Para os fins do nosso mapa, apenas registraremos as  que encontramos e foram informadas pela mídia pública ou por outras fontes confiáveis ​​e verificáveis.

De longe, a maioria das mortes ocorrem em jovens adultos cujas vidas foram cortadas porque estavam confusos ou não estavam totalmente informados sobre a política do sangue. Apenas para ter certeza de que eles não “violaram nenhuma regra”, muitos escolheram recusar todas as partes do sangue – mesmo quando o uso de uma “fração” de sangue permitida poderia ter salvado suas vidas.