Ray Hemming – Ancião das Testemunhas de Jeová

Se há uma coisa que as pessoas identificam as Testemunhas de Jeová, é pela recusa de transfusões de sangue. Eu sei que foi uma doutrina que uma vez acreditei que era certo para mim e minha família. Se uma emergência médica tivesse surgido, uma transfusão de sangue não teria sido uma opção.

Eu, como muitas Testemunhas de Jeová, esperamos que uma emergência desse tipo nunca aconteça. Mas se acontecesse, eu estava confortado pelo pensamento de que existem alternativas às transfusões de sangue, tais como a solução salina, dextrose, etc. Estas foram o tipo de alternativas que a Torre de Vigia alardeou em sua literatura como escolhas não-sangue preferidas em uma emergência.

Três anos depois de meu batismo como ministro ordenado das Testemunhas de Jeová, minha filha, que tinha sete anos de idade na época, ficou gravemente doente com amigdalite. Ela perdeu muito peso devido à doença e tornou-se frágil e fraca. Nosso médico de família nos encaminhou para um hospital próximo para consulta, onde fomos informados de que suas amígdalas deveriam ser removidas.

No entanto, o médico não concordou em realizar a operação sem minha garantia que sangue poderia ser usado se uma complicação surgisse no procedimento. Lembro-me nervosamente de pedir a ele para rever nosso folheto “As Testemunhas de Jeová e a Questão do Sangue.” Isso é tudo o que tínhamos naqueles dias para dilemas médicos. Não havia Comissões de Ligação com Hospitais (COLIHs) na época. O médico disse que estava familiarizado com este manual, mas se recusou a discutir o assunto.

Minha esposa e eu fomos confrontados com o nosso primeiro dilema relacionado com a doutrina da Torre de Vigia sobre o sangue. Devemos concordar com o desejo do médico e esperar que as coisas acabem bem? Com algum espanto, deixamos o hospital com nossa filha e começamos a procurar ajuda em outro lugar. Eventualmente, fomos encaminhados a um profissional qualificado, especializado em medicina alternativa. Por causa de seu conselho, que incluia restrições alimentares e alguma medicação, nossa filha foi ajudada nesse período crítico. Com o tempo, ela recuperou a sua força e saúde, embora o problema nunca foi totalmente resolvido, até hoje.

A recusa de transfusões de sangue é um assunto que a maioria das Testemunhas de Jeová tentam evitar no ministério de porta em porta. Esta é uma doutrina muito emocional para as não Testemunhas de Jeová. E simplesmente não há uma resposta adequada a um pai em pé na frente de você, fazendo a pergunta: “Você deixaria seu filho morrer?” Qualquer resposta como “nosso filho vai ser ressuscitado no novo mundo” ou “As Testemunhas de Jeová tem alternativas para o sangue” não vão convencer, e, francamente, não trariam nenhum conforto a uma Testemunha de Jeová racional.

No entanto, eu nunca imaginei que um dia estaria argumentando que a política do sangue da Torre de Vigia é muito errada. Na verdade, a questão da transfusão de sangue, foi o que finalmente me levou a ser expulso da organização das Testemunhas de Jeová depois de dezoito anos de serviço.

Eu tinha sido um “ancião” na congregação há muitos anos, dando palestras públicas e apoio espiritual para outras Testemunhas. Mas com o passar do tempo, eu estava começando a ter dúvidas sobre algumas das informações provenientes da Torre de Vigia.

Durante um momento particularmente difícil na vida do meu filho, eu fiquei algum tempo longe do trabalho. Com tempo livre na minha mão, eu comecei a refletir sobre minha vida como Testemunha de Jeová e a navegar pela internet, um grande “não, não” para as Testemunhas de Jeová em 1998, para obter informações sobre algumas doutrinas da minha fé.

Em minha jornada pela internet, eu encontrei um site intitulado “New Light on Blood” (www.ajwrb.org). Fiquei espantado pela enorme quantidade de informações apresentadas, tanto bíblica e científica, sobre as experiências de pessoas afetadas pela política do sangue e da história das mudanças da posição da Torre de Vigia sobre suas proibições médicas. Esta informação me fez repensar minha crença no sangue.

Eventualmente, isso fez capotar minhas crenças fortemente entrincheirados (2 Coríntios 10:4), pois este site forneceu informações bem pesquisadas de profissionais médicos, homens designados nas congregações, ex-membros do COLIHs e alguns anciãos operando dentro da organização Torre de Vigia.

Apresentei algumas dessas novas informações em uma carta para o meu supervisor congregacional. Então mandei cartas para outros anciãos que eu conhecia, convidando o seu comentário. Enquanto não recebi respostas escritas, fui visitado por vários desses anciãos, mas eles não quiseram falar sobre as questões. Eles tinham medo de falar comigo. A organização tinha estrangulado sua capacidade para comentar.

No entanto, me pediram para discutir essas questões sobre o sangue com pessoas experientes na sede da Torre de Vigia em Londres. Eu acho que eles sugeriram isto na esperança de se eximirem da responsabilidade. Então eu fiz, conforme solicitado, e enviei uma carta para eles. A resposta que recebi não fez qualquer tentativa para entrar em qualquer tipo de diálogo sobre minhas perguntas. Sua resposta ascendeu a nada mais do que uma advertência sobre os apóstatas que operam na internet.

Algumas semanas mais tarde, recebi uma outra visita de um ancião local, me dizendo que um comitê judicial havia sido formado e eu fui convidado a participar. Um comitê judicial é composto por um grupo de homens que agem como juízes para reforçar a política da Torre de Vigia. No meu caso, a comissão judicativa foi organizada para decidir se eu era culpado de apostasia. Eu acho que ser um ancião que recolheu material e levantou questões sobre as políticas da Torre de Vigia foi o suficiente para me cobrarem.

Eu concordei em participar da reunião, na esperança de fazer pelo menos um deles pensar sobre a doutrina do sangue de forma diferente e, talvez tocar seus corações. Eu nunca esperei que eles concordassem comigo sobre o assunto, o que os colocaria na mesma posição precária que a minha.

Durante a reunião, fiz referência às palavras de Jesus concernentes a adoração de Deus. Cristo disse: “aprendei o que significa, quero misericórdia e não sacrifícios’” e como ele mencionou a história de Davi na Bíblia durante a fuga do rei Saul. Aqui é registrado que um sacerdote por misericórdia, deu a Davi e seus homens, que estavam em necessidade desesperada de comida, alguns “pães da proposição” do templo, algo proibido pela Lei. Eu pensei que aplicar o mesmo princípio hoje seria razoável. Jesus estava claramente demonstrando aos líderes religiosos de sua época que o espírito por trás da lei era o amor. Os líderes religiosos não podiam ver isso, é por isso que eles se opuseram aos discípulos de Jesus pegar grãos de trigo no sábado.

Quer Deus o sacrifício de tantos jovens, mulheres e crianças, que ocorreram com as Testemunhas de Jeová ao longo dos anos pela obediência à questão do sangue? Isto parece razoável ou até mesmo lógico, quando refletimos sobre essas palavras? Jesus prefaciou a expressão “Eu quero misericórdia e não sacrifícios” com as palavras, “aprendam o que isso significa”. As Testemunhas de Jeová como organização ainda não aprendeu este princípio básico que diz respeito ao sangue.

Houve outros pontos que eu levantei, como a forma ao longo do tempo, que a Torre de Vigia mudou sua posição sobre o sangue, e que agora alguns componentes do sangue eram considerados aceitáveis em tratamentos médicos, que antes eram vistos como “inaceitáveis”. Isto, obviamente, tornou-se muito confuso para a testemunha de Jeová comum, que não é treinada em procedimentos médicos ou na química do sangue. Devido a isso, a organização Torre de Vigia deu à luz a um novo arranjo – O Comitê de Ligação com Hospitais. Os COLIHs foram criados porque a política do sangue tornou-se confusa e a Torre de Vigia estava perdendo o controle desta questão.

Por exemplo, alguns soros com certos componentes do sangue em si tornou-se medicina aceitável para os políticos da Torre de Vigia que tomam as decisões. O raciocínio foi que isso não era alimentar-se de sangue. Abster-se de sangue é essencialmente o discurso proferido no livro bíblico de Atos 15, que é a base da política da Torre de Vigia. Aqui, o contexto para esses versículos da Bíblia é em referência a comer sangue. Curiosamente, o reconhecimento veio através da Sentinela que uma transfusão de sangue é essencialmente um transplante de tecido do órgão.

Portanto, a questão permanece, são estes transplantes de tecido o mesmo que “alimentar-se de sangue”?

A Torre de Vigia hipocritamente permanece resoluta em sua proibição do sangue, apesar de suas contradições. Estes responsáveis políticos (membros do Corpo Governante) que residem na sede da Torre de Vigia, em Nova York, provavelmente em algum momento, sentam para uma refeição e desfrutam de um bom bife mal passado, e acho que não experimentam nenhuma crise de consciência.

No final da reunião judicial, me informaram que eu estava expulso/excomungado, o que significava que nenhuma Testemunha de Jeová sobre a face deste planeta poderia falar ou socializar comigo. Finalmente eu lembro de dizer, “Vocês acreditam que tenham realizado a justiça de Deus aqui e agido com o amor de Cristo?” Eu disse isso porque esses homens sabiam o trabalho árduo que eu tinha feito naquela congregação e a sinceridade que me apliquei ao longo de muitos anos, mas tudo isso parecia irrelevante para eles, e o superintendente presidente disse friamente que eu iria “morrer no Armagedon” se continuasse como estava. Eu saí da reunião com um “adeus”, e enquanto caminhava para o meu carro um grande alívio tomou conta de mim porque, embora soubesse que perderia todos os amigos que tinha, também sabia que fiz a coisa certa.

A ironia de todo esse episódio em minha vida, é que a Torre de Vigia poderia alterar mais uma vez sua posição a respeito do sangue ou dos seus componentes, e os mesmos anciãos que me julgaram, teriam que argumentar a favor das mudanças na política que me haviam condenado como apóstata.

De fato, apenas dois anos mais tarde, a Torre de Vigia aprovou o uso do maior de todos os componentes do sangue (hemoglobina), bem como o uso do bovino (sangue de vaca) para produzir o Hemopure.

Encontrar a verdade real, a boa ciência, neste caso, não é a questão. Também não é a fidelidade a Jesus Cristo, as Escrituras ou mesmo a própria consciência. Pelo contrário, trata-se de controle e repressão, a lealdade à Sociedade Torre de Vigia e as suas diretivas feitas pelo homem.

Ray Hemming