O Especialista Médico da Torre de Vigia

Revista Despertai de 8 de Janeiro de 2000

Artigo contribuído por S. Sparrow. A edição de Janeiro de 2000 da revista Despertai, publicada pela Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados de Nova York e distribuída em todo o mundo, apresentou artigos aprovando a cirurgia sem sangue e promovendo medicamentos sem sangue como uma alternativa segura às transfusões de sangue alogênico. (1)

Vários médicos são apresentados nesta edição especial da revista Despertai e fica evidente que esses médicos foram incluídos na lista de “médicos cooperativos” que é compilada e mantida pelo Serviço de Informação Hospitalar da Sociedade Torre de Vigia.

Em novembro de 2002, menos de dois anos após a publicação desta edição da revista Despertai, a Sociedade Torre de Vigia afirmou ter um banco de dados com mais de 100 mil médicos que usariam métodos sem sangue em pacientes Testemunhas de Jeová.

O Serviço de Informação Hospitalar, ou HIS, é o braço da equipe da sede das Testemunhas de Jeová que coordena a comunicação entre mais de 110 mil médicos em todo o mundo. Cerca de 1.600 subgrupos denominados Comitês de Ligação Hospitalar, ou HLCs, facilitam esta comunicação a nível local. (2)

O artigo A Crescente Demanda por Medicamentos e Cirurgias sem Sangue, começa com uma citação do Dr. Boldt, um professor da Alemanha, que, sem dúvida, estaria na lista de médicos aprovados do Serviço de Informação Hospitalar da Torre de Vigia.

“Todos aqueles que lidam com o sangue e cuidam de pacientes cirúrgicos devem considerar a cirurgia sem sangue.” – Dr. Joachim Boldt, professor de anestesiologia, Ludwigshafen, Alemanha.

O artigo também apresenta esta citação do mesmo médico:

Dr. Joachim Boldt

“A cirurgia sem sangue não é apenas para as Testemunhas de Jeová, mas para todos os pacientes. Eu acho que todo médico deve se envolver nela.” – Dr. Joachim Boldt, professor de anestesiologia, Ludwigshafen, Alemanha.

Na época em que o Dr. Joachim Boldt estava sendo apresentado em uma publicação das Testemunha de Jeová, sua pesquisa estava sendo usada pela comunidade médica para validar o uso da solução de amido hidroxietil como expansor de volume para substituir o sangue de um paciente, evitando assim o uso, ou a redução, de transfusões de sangue alogênicas. A pesquisa de Boldt, comparando a eficácia de diferentes colóides com a albumina, usou amido hidroxietil suspenso em uma solução eletrolítica em vez da solução salina usual que havia sido utilizada pela comunidade médica desde a década de 1970.

Os expansores de volume são essenciais para os procedimentos cirúrgicos que drenam e armazenam o sangue do paciente durante a cirurgia e o amido hidroxietil foi um dos pilares dos procedimentos cirúrgicos há mais de duas décadas. (3)

Em 2002, o amido hidroxietil suspenso em solução salina (hespan), estava sendo investigado pela FDA e a FDA estava considerando colocar um aviso de tarja preta no hespan. (4) Eventualmente, depois de várias audiências e seminários da FDA, o hespan recebeu uma advertência de tarja preta que alertou profissionais médicos para um risco aumentado de sangramento em alguns pacientes ao usar o produto. (5)

No entanto, o Hextend, a solução de amido hidroxietil que Boldt empregou em sua pesquisa, conseguiu evitar o aviso da tarja preta durante as audiências da FDA no início dos anos 2000, com base na presunção de que a solução transportadora do Hextend e o tamanho molecular menor poderiam evitar os problemas que o hespan estava enfrentando. Mais tarde, isto revelou-se falso e agora o Hextend também traz um aviso da FDA, afirmando que pode ocorrer aumento de sangramento e insuficiência renal  com seu uso. (6)

Em 2010, foi revelado que a pesquisa que Joachim Boldt publicou a favor do amido hidroxietil suspenso em solução eletrolítica continha dados falsificados e / ou a pesquisa teve aprovação ética inadequada. (7-8-9) Os estudos de Joachim Boldt que foram retirados somam agora 96 e, de acordo com o Retraction Watch, um site que rastreia retrações na comunidade científica, este número coloca Boldt como o segundo na tabela de classificação baseado no número de estudos retirados. (10) 

Ao longo das últimas quatro décadas, o amido hidroxietil tem sido usado na população de Testemunhas de Jeová, incluindo a mais nova fórmula no mercado – Voluven. (11) Isso aconteceu apesar do conhecido risco de hemorragia aumentada em alguns pacientes. (12) O aumento das transfusões de sangue de células vermelhas foram observados em estudos que foram conduzidos na segurança e eficácia do amido hidroxietil. (13)

Está claro que o uso de amido hidroxietil aumenta o risco para o paciente (14-15-16) e que esse risco adicional era conhecido por muitos anos:

“Pesquisas do Dr. Gill Schierhout e do Dr. Ian Roberts, da Universidade College London, descobriram em 1998 que o uso de colóides durante a cirurgia aumentou o risco de morte em quatro pontos percentuais – equivalente a quatro mortes extras em cada 100 pacientes. Uma revisão publicada 10 anos depois por Konrad Reinhart e Christiane Hartog da Universidade Friedrich Schiller em Jena, Alemanha, citou dois ensaios clínicos em grande escala que descobriram que a HES poderia impedir o coagulação do sangue, o que pode causar sangramento intenso. Outros estudos mostraram que alguns colóides podem resultar em complicações, incluindo insuficiência cardíaca e renal, entrada de fluido nos pulmões e choque anafilático “. (17)

O Serviço de Informação Hospitalar  da Sociedade Torre de Vigia tem sido irresponsável na promoção de um procedimento médico que coloca uma população de risco em posição de risco maior. A população de TJs não tem a rede de segurança de uma transfusão de sangue para compensar o risco de hemorragia aumentada quando se utilizam amidos de hidroxietil e, no entanto, a Torre de Vigia não alerta as TJs desse risco adicional

A Sociedade Torre de Vigia não apenas defendeu o uso de uma alternativa de sangue que aumentou o risco, mas também aprovou o Dr. Joachim Boldt, pesquisador médico questionável no campo da medicina sem sangue. Dr. Boldt, o médico apresentado na revista Despertai, realizou pesquisas médicas sobre pacientes sem aprovação ética e depois falsificou os dados para promover uma alternativa às transfusões de sangue.

Promover notáveis médicos questionáveis não é algo novo para a Sociedade Torre de Vigia. O nome do Dr. Joachim Boldt constará na história da Torre de Vigia ao lado de outros médicos charlatões que a Torre de Vigia aprovou ao longo dos anos, como Albert Abrams, George Starr White, Charles Betts e Bernarr McFadden. (18)

NOTAS

1.  Awake!, January 8, 2000. Watchtower and Bible and Tract Society of New York.

2.  https://web.archive.org/web/20091120230915/http://www.jw-media.org/gbl/20021118.htm – SABM award recognized the Watchtower Society’s contribution to the field of Blood management.

3. Hydroxyethyl Starch: Here Today, Gone Tomorrow. J. P. Nolan; M. G. Mythen. Br J Anaesth. 2013;111(3):321-324.

4. https://www.fda.gov/OHRMS/DOCKETS/ac/02/transcripts/3867T1.rtf

5. http://www.who.int/medicines/publications/NewsletterNo4_2013EC.pdf

6. https://www.drugs.com/pro/hextend.html

7. Joachim Boldt profile: a glittering career built on charisma and charm. Heidi Blake. http://www.telegraph.co.uk/news/health/news/8360678/Joachim-Boldt-profile-a-glittering-career-built-on-charisma-and-charm.html

8. https://en.wikipedia.org/wiki/Joachim_Boldt

9. http://intensivecarenetwork.com/148-scandal-and-reputation/

10. When you have 94 retractions, what’s two more? Retraction Watch. http://retractionwatch.com/2017/03/01/94-retractions-whats-two/

11. Normovolemic hemodilution using hydroxyethyl starch 130/0.4 (Voluven) in a Jehovah’s Witness child requiring cardiopulmonary bypass for ventricular septal defect repair. Bryan D. Laliberte, , Dilip S. Nath, , John P. Costello, , Mark Nuszkowski, , Richard F. Kaplan. Journal of Clinical Anesthesia, Volume 26, Issue 5, August 2014, Pages 402-406

12. A severe coagulopathy following volume replacement with hydroxyethyl starch in a Jehovah’s Witness. D.N.J. Lockwood, C. Bullen, S.J. Machin. Anaesthesia, 1988, Volume 43, pages 391-393.

13. Effect of intraoperative HES 6% 130/0.4 on the need for blood transfusion after major oncologic surgery: a propensity-matched analysis.Fernando Godinho Zampieri, Otavio T Ranzani, Priscila Fernanda Morato, Pedro Paulo Campos, and Pedro Caruso. Clinics (Sao Paulo). 2013 Apr; 68(4): 501–509.

14. http://pulmccm.org/main/2013/randomized-controlled-trials/hydroxyethyl-starch-fries-kidneys-in-another-large-trial-rct-nejm/ CHEST trial – NZ and Australia.

15. http://clincalc.com/blog/2013/04/fresenius-kabi-its-time-to-pull-the-plug-on-voluven-hydroxyethyl-starch-1300-4/. Fresenius Kabi: It’s Time to Pull the Plug on Voluven (hydroxyethyl starch 130/0.4)

16. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4234780/#ref9 Hydroxyethyl starch: Controversies revisited. Rashmi Datta, Rajeev Nair, Anil Pandey, Nitish Kumar, and Tapan Sahoo.

17. http://www.telegraph.co.uk/news/health/8360667/Millions-of-surgery-patients-at-risk-in-drug-research-fraud-scandal.html

18. The Watchtower Society and Medical Quackery, Kenneth G. Raines. http://www.freeminds.org/history/quackery.htm