Eu fui criada como Testemunha de Jeová numa família com uma longa história como membros, voltando para 1910. E cresci acreditando verdadeiramente que era a verdade. No entanto, houve muitos problemas à medida que envelheci perturbando minha consciência, e por isso quero contar a minha história.

Meu pai era ancião por muitos anos, quando desenvolveu doença renal. Ficou tão ruim que, eventualmente, seus rins deixaram de funcionar e seguiu em diálise.

A questão do transplante surgiu, e meus pais pesquisaram as publicações da Torre de Vigia para ver o que a Sociedade tinha a dizer, encontrando que não era permitido. Então, ele não teve um transplante. Ele estava em diálise há vários anos, mas não era suficiente. Ele morreu em 1978, e dois anos depois, a sociedade mudou sua política, tornando isso como questão de consciência em 1980.

Nome: Arvid Einar Moody – Nascimento: agosto de 1910 – Falecimento: maio de 1978 em Cambridge Mass. Para ver a certidão de óbito, clique aqui.

Acredito que papai foi batizado em 1929 e tenho uma foto de seu batismo … de fato, tenho muitas fotos familiares de atividades das testemunhas, incluindo assembléias, carros de som, etc … bem como o fonógrafo portátil e os registros de Rutherford … também um número muito grande de livros que remontam à virada do século.

Papai era ancião na Congregação Hyde Park em River St., em Hyde Park, MA. Papai desenhou o salão. Ele era o servo de som de nosso circuito e a maioria das assembléias distritais em nossa área. Ele era bem conhecido na área, e bastante conhecido na sede. Ele foi amigo de Al Schroeder (membro do Corpo Governante) e Charlie Meng do departamento de arte.

Avançando rápido para hoje, tenho um filho de 16 anos, que deve comparecer ao salão do reino todos os domingos com seu pai (que ainda é testemunha). Ele não acredita na Torre de Vigia e não deseja participar. Sem medo, seu pai ameaçou chamar a polícia para forçá-lo a ir, quando ele resiste.

Recentemente, meu ex-marido deu ao meu filho um cartão de sangue para carregar na carteira. Meu filho não acredita como meu marido. Mas ainda assim, meu ex-marido exige que meu filho carregue este cartão, o que não expressa as crenças do meu filho, mas a dele … mesmo colocando em risco a vida de meu filho por algo que meu filho não acredita.

Na parte de trás do cartão do sangue, meu ex-marido assinou pelo filho (nosso) e o substituiu por (meu) filho, apagando minha contribuição dos pais no assunto. Ele assinou o cartão do sangue como se fosse o único pai. Obviamente, meu filho não vai carregar este cartão, mas me entregou em vez disso.

O controle incrível que a organização tem sobre a vida das pessoas ainda me surpreende … e me entristece. Que Deus abençoe seus esforços!

Em Seu Amor,

Debbie Shard